Sada's Blog – ब्लॉग

Soul's expressions – आत्मा भाव

Receita de Ano Novo – नई वर्ष January 1, 2013

Filed under: Inspirações,Poesia — Sada @ 10:36 pm

céu

“Para você ganhar belíssimo Ano Novo 

cor do arco-íris, ou da cor da sua paz, 
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido 
(mal vivido talvez ou sem sentido) 
para você ganhar um ano 
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, 
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; 
novo 
até no coração das coisas menos percebidas 
(a começar pelo seu interior) 
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, 
mas com ele se come, se passeia, 
se ama, se compreende, se trabalha, 
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, 
não precisa expedir nem receber mensagens 
(planta recebe mensagens? 
passa telegramas?)

Não precisa 
fazer lista de boas intenções 
para arquivá-las na gaveta. 
Não precisa chorar arrependido 
pelas besteiras consumadas 
nem parvamente acreditar 
que por decreto de esperança 
a partir de janeiro as coisas mudem 
e seja tudo claridade, recompensa, 
justiça entre os homens e as nações, 
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, 
direitos respeitados, começando 
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo 
que mereça este nome, 
você, meu caro, tem de merecê-lo, 
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, 
mas tente, experimente, consciente. 
É dentro de você que o Ano Novo 
cochila e espera desde sempre.”

Carlos Drummond de Andrade

Advertisements
 

Poesia & Coragem – कविता और साहस December 5, 2012

Filed under: Meditação,Mestres,Osho,Poesia,Spirituality — Sada @ 9:59 pm

spiritual

 

“Um poeta vem a conhecer certas coisas que são reveladas somente em um relacionamento poético com a realidade.

No que se refere à ‘esperteza’ mundana, o poeta é um tolo. Ele nunca se desenvolverá no mundo da riqueza e do poder. Mas, em sua pobreza, ele conhece um tipo diferente de riqueza na vida que ninguém mais conhece. 

O amor é possível a um poeta, Deus é possível a um poeta. Somente aquele que é inocente o bastante para desfrutar pequenas coisas da vida pode entender que Deus existe, porque ele existe nas pequenas coisas da vida: existe no alimento que você ingere, na caminhada que você faz pela manhã, no amor que você tem por seu amado ou por sua amada, na amizade que você tem com alguém. Deus não existe nas igrejas; estas não são parte da poesia, mas da política. 

Torne-se mais e mais poético. É necessário ter coragem para ser poético; você precisa ser corajoso o bastante para ser chamado de tolo pelo mundo, mas somente então poderá ser poético. E para ser poético, não quero dizer que você precisa escrever poesia. Escrever poesia é apenas uma parte pequena e não essencial de ser poético.

Uma pessoa pode ser poeta e jamais escrever uma única linha de poesia, e uma outra pode escrever milhares de poemas e ainda não ser um poeta. 

Ser poeta é um estilo de vida. É amor pela vida, é reverencia pela vida, é um relacionamento sincero com a vida.”

Osho

 

Em busca de mais … – और अधिक के लिए देख रहे हैं August 23, 2012

Filed under: Inspirações,Música,Mestres,Poesia,Spirituality — Sada @ 5:21 pm

Solidão,

o silêncio das estrelas,

a ilusão

Eu pensei que tinha o mundo

em minhas mãos

Como um deus

e amanheço mortal.

E assim,

repetindo os mesmos erros,

dói em mim
Ver que toda essa procura não tem fim

E o que é que eu procuro afinal?

 

Um sinal,

uma porta pro infinito,

o irreal

O que não pode ser dito,

afinal

Ser um homem em busca de

mais,

de mais…

Afinal,

como estrelas que brilham em paz,

em paz …

 

Lenine

* Letra da música “O Silêncio das Estrelas” :

http://www.youtube.com/watch?v=bIxJNISqwmA

 

“Atitude Tântrica” – तांत्रिक रवैया July 11, 2012

“A atitude tântrica é o próprio ser …

 

Tantra vê a vida com visão total.

Não possui conceitos, não é uma filosofia.  

Não é, sequer, uma religião, não tem teologia.

Não acredita em palavras, em teorias, em doutrinas.

Quer ver a vida sem filosofia, sem qualquer teoria, sem qualquer teologia. Quer ver a vida como ela é, sem colocar a mente de permeio, porque isso causaria distorção.

A mente projeta, a mente mescla, e, então, já não podes distinguir aquilo que é.

 

Tantra evita a mente e encara a vida face a face, 

jamais pensando: “isto é bom”, ou “isto é mau”; porém, e simplesmente, encarando-a como ela é. 

*

“A prática do mantra e da paramita,
a instrução em sutras e preceitos,
o ensino das escolas e das escrituras,
não levarão à percepção da Verdade Inata.
Porque, se a mente, quando tomada por algum desejo,
procura encontrar um objetivo,
apenas oculta a Luz. 

Aquele que observa os preceitos tântricos, ainda discrimina,
trai o espírito de samaya.
Cessa toda atividade, abandona todos os desejos,
deixa que os pensamentos subam e desçam,
Coisa que eles farão, como ondas no oceano.
Aquele que nunca prejudica o não-perdurável,
nem o princípio da não-distinção,
defende os preceitos tântricos. 

O que abandona o desejo insaciável
e não se prende a isto, nem àquilo
percebe o significado real dado nas escrituras.”

*

Tantra diz “sim” a tudo. Nada há que se pareça com o “não” em seu vocabulário; nada que seja negação. Nunca diz “não” a coisa alguma, porque

com o “não” se inicia a luta,

com o “não” tu te tornas o ego.

No momento em que dizes “não” a qualquer coisa, tornas-te já o ego. Um conflito surgiu e, agora, estás em guerra.

 Tantra ama, e ama incondicionalmente. Nunca diz “não” a nada, seja o que for, porque

tudo faz parte do todo

e tudo tem seu lugar próprio no Todo;

e o Todo só poderá existir quando nada lhe falte.

 

 

Osho  

 (Do livro: “Tantra: A Suprema Compreensão”)

 

 

O sonho que tiver … June 25, 2012

Filed under: Poesia,Sada — Sada @ 5:45 pm

“Vende-se uma imagem;

Uma forma qualquer.

O conteúdo é disponível,

A quem quiser!

Experimente o sabor

Do vapor sem perfume,

Do contorno sem âmago,

Da casca, da pele, da superfície,

De um recipiente vazio,

sem som,

sem cor,

Oco,

Frio,

Puro vácuo,

Sem tirar nem por.

 

… E fique à vontade

Para dar o seu toque,

Para pintar com a cor que mais gostar;

Dê a forma que quiser,

O sonho que tiver,

A ilusão que mais te agradar.

Pode sonhar! 

Afinal,

no final,

Nada, em sí, é substancial,

Ès tu quem crias,

É teu o sonho,

És livre pra criar!”

 

Sada

 

Ebulição – क्वथन March 24, 2012

Filed under: Meditação,Poesia,Sada — Sada @ 4:58 am

“Tem um fogo ardendo,
fervendo,
quase queimando,
mas, 
ainda assim,
é bom demais!
É bom porque aquece,
liberta,
transcende!
Adere,
Sede,
Ascende!
Acende
a chama interna,
eterna;
E não se alterna,
e sim,
se eleva, 
como bolha de sabão,
como luz,
como som,
canção,
como água fervente,
em ebulição!

Sada

 

Em Paz! March 17, 2012

Filed under: Poesia,Sada — Sada @ 1:45 pm

“A brisa do Mar …

a onda que vem e vai …

Me fez lembrar 

de um ar, que já respirei

de um lugar, por onde já passei

um sonho, que já sonhei

uma brisa, que já brisei!

Tão simples!

Tão claro!

Tão leve!

Tão fácil de entender! 

Por isso,

Entrego o passado;

que o mar possa levar !

 

E, o que a brisa me traz,

a luz, 

o céu,

a paz,

e muito mais …

Recebo!

Entrego-me!

E deixo-me levar!”

Sada