Sada's Blog – ब्लॉग

Soul's expressions – आत्मा भाव

Corpo: desfazendo a divisão … November 28, 2012

Filed under: Mestres,Osho,Psicologia,Spirituality,Yoga — Sada @ 6:32 pm

“Todo mundo está carregando um bocado de lixo no estômago. (…)

Você quer chorar — alguém, algum amigo seu morreu —, mas chorar não parece adequado. Se chora, é como se fosse fraco, então você reprime o choro.
Naturalmente, tem de reprimi-lo no estômago, que é o único espaço oco disponível no corpo, onde se pode armazenar as coisas.

…  E todo mundo reprime emoções, amor, sexualidade, raiva, tristeza, choro e até risadas.

 Em muitas culturas,  uma boa gargalhada pode significar falta de  educação.

… Então você reprime tudo!

E, por causa dessa repressão, você não consegue respirar fundo, a sua respiração é superficial.

Se você respira fundo, essas feridas causadas pela repressão liberam energia. 

Toda criança, quando nasce, respira pela barriga. Olhe uma criança dormindo; a barriga sobe e desce, não o peito. Nenhuma criança respira com o peito; Elas são completamente livres, nada as está reprimindo. O estômago delas está vazio de repressão, e esse vazio tem uma beleza no corpo.

Quando o estômago tem muita coisa reprimida, o corpo se divide em duas partes, a inferior e a superior. Você deixa de ser um só e passa a ser dois. A parte inferior é descartada. A unidade é perdida; surge uma dualidade em seu ser.

… então …

Você está carregando dois corpos em vez de um e sempre haverá uma lacuna entre os dois … assim … não conseguirá andar com graciosidade, parece que tem de carregar as pernas. Na verdade, quando o corpo é um só, as pernas é que carregam você. Se o corpo está dividido, então é você que tem de carregar as suas pernas.

Você tem de arrastar o corpo, como se ele fosse um fardo. Você não consegue fazer uma boa caminhada, não consegue dar umas boas braçadas na água ou apreciar uma boa corrida. Para fazer todos esses movimentos, e apreciá-los, o corpo precisa ser reunificado … É preciso criar um uníssono outra vez; o estômago terá de passar por uma limpeza completa.

… E, para fazer essa limpeza no estômago, é necessária uma respiração muito profunda.

Quando você inspira e expira profundamente, o estômago joga fora tudo o que ele está carregando. Nas expirações, o estômago se esvazia.

Por isso é tão importante uma respiração profunda. A ênfase deve recair nas expirações, de modo que o estômago possa se livrar de tudo o que ele está carregando desnecessariamente.

E, quando o estômago não está mais carregando emoções dentro dele, se você tiver constipação, de uma hora para outra ela também desaparecerá. Se estiver reprimindo emoções no estômago, haverá constipação porque o estômago não está funcionando livremente. Você está exercendo um controle profundo sobre ele; não lhe dá liberdade.

A constipação é uma doença mais mental do que física … Se as emoções forem reprimidas, haverá constipação.

… Mente e corpo não são duas coisas separadas; o seu corpo é um fenômeno psicossomático. A mente é a parte mais sutil do corpo, e o corpo é a parte mais grosseira da mente. E eles afetam um ao outro; andam juntos … então … Se você estiver reprimindo alguma coisa na mente, o corpo começará uma jornada de repressão. Se a mente liberar alguma coisa, o corpo também liberará.”

Osho

Advertisements
 

Psicologia do Yoga – योग मनोविज्ञान November 26, 2012

Emoções são contagiosas.

… Grande parte do nosso sofrimento não provém de nossos próprios problemas, mas sim dos problemas que absorvemos dos outros que nos cercam.”

“Há pessoas que olham para você de forma crítica … e estas despertam e fazem aflorar suas piores características, as piores partes de você;

… E há pessoas, por outro lado, que olham para você com um olhar amoroso, despertando e fazendo aflorar suas maiores qualidades.”

Mas … de onde provém o sofrimento?

“Existem 3 causas possíveis 3 fontes de sofrimento: Karmas (passado), a natureza (o clima, temperatura, influências externas) e a mente.”

Assim …

“Aprenda a transformar sua percepção.

“Mude da percepção crítica para a percepção do amor

Não causar sofrimento aos outros e a si mesmo: isso é inteligência.”

E … como evitar o sofrimento?

Algumas dicas …

– “Seja amigo daqueles que são mais felizes que você.”

– “Praticar a atenção plena

– “Esteja receptivo a emoções positivas e livre-se das negativas o mais rápido possível.”

– “Não se compare!”

– “Aceite o que a vida te traz.”

– “Conecte-se com sua paz interior.”

– “Lembre-se sempre: qualquer momento da sua vida é sagrado!”

– “Qualidades positivas são expressões de nossa consciência divina: descubra qualidades positivas em você e as pratique diariamente.”

Expansão é vida!”

… Pratique!

*Trecho extraído de anotações feitas durante uma aula mais que especial com  Uma Krishnamurti  (médica psiquiatra, professora de Yoga, bailarina de dança clássica indiana e palestrante internacional)
 

Tantra, Psicologia e normalidade October 13, 2012

Filed under: Inspirações,Mestres,Osho,Psicologia,Spirituality,Tantra — Sada @ 5:53 pm

“O homem pode ser considerado de 3 maneiras: em termos do normal, do anormal e do super-normal.

A psicologia ocidental está basicamente relacionada com o anormal, o patológico, com o homem que caiu da norma. A psicologia oriental, o tantra e o yoga, consideram o homem do ponto de vista do super-normal (aquele que foi além da norma). Ambos são anormais.

Aquele que é patológico é anormal por que não é saudável e aquele que é super-normal é anormal porque é mais saudável do que qualquer ser normal. 

A psicologia ocidental se desenvolveu como parte da psicoterapia. Freud estava estudando casos patológicos, o homem anormal, o homem mentalmente doente … nenhum homem saudável chegaria até ele … e, por causa desse estudo, ele pensou que entendia o homem.

… Toda a sociedade ocidental caiu de nível – o homem doente tornou-se a base – o pervertido se tornou a fundação.

Se você estuda apenas o anormal, você não pode conceber nenhuma possibilidade de seres super-normais … Um buda é impossível para Freud, inconcebível. 

… se você embasa sua concepção do homem na doença, toda a sociedade irá sofrer.

A psicologia oriental também têm um conceito de homem, mas esse conceito está baseado no estudo do ‘super-normal’ – Buda, Patanjali, etc –, em pessoas que atingiram o pico da potencialidade e possibilidade humana. O mais baixo não foi considerado, apenas o mais alto. Se você considera o mais alto sua mente se torna uma abertura; você pode crescer, faculdades mais elevadas são possíveis. Se você considera o mais baixo, nenhum crescimento é possível. Não existe desafio. 

Mas se você busca o super-normal, a mais alta possibilidade que você pode se tornar, se alguém realizou essa possibilidade, se essa possibilidade se tornou verdadeira para alguém, então uma possibilidade para crescer se abre. Você pode crescer. Um desafio chega até você e você não precisa ficar satisfeito consigo mesmo: faculdades mais elevadas são possíveis e elas o estão chamando. Isso precisa ser entendido profundamente. Somente então a psicologia do tantra será concebível. O que você é não é o final. Você está apenas no meio. Você pode cair, você pode se elevar. Seu crescimento não acabou.

Você não é o produto final; você é apenas uma passagem. Alguma coisa está constantemente crescendo em você.

O tantra concebe e baseia todas as suas técnicas nesta possibilidade de crescimento. E, a menos que você se torne aquilo que você pode se tornar, você não ficará realmente satisfeito.

Você deve se tornar aquilo que você pode se tornar – isso é um dever! Do contrário, você ficará frustrado, você se sentirá sem sentido, sentirá que não existe propósito na vida. Você pode continuar, mas não existirá alegria nisso. E você pode ter sucesso em muitas outras coisas, mas irá fracassar consigo mesmo. E isso está acontecendo. Alguém se torna muito rico e todo mundo pensa que ele teve sucesso. Todo mundo, exceto ele mesmo, pensa que ele teve sucesso. Ele conhece o seu fracasso. A riqueza está presente, mas ele está fracassado. 

O que você sente é significativo. Se você sente que é um fracasso, os outros podem pensar que você é um Napoleão, mas isso não faz diferença. Ao contrário, isso o deprime mais.

 Você não pode enganar a si mesmo.

No que se refere à auto-realização, você não pode se enganar. Mais cedo ou mais tarde você terá que visitar a si mesmo e olhar profundamente dentro de si. A sua vida é desperdiçada quando largou uma oportunidade e juntou coisas que não significam nada.

A auto-realização se refere ao mais alto pico de seu crescimento, onde você pode sentir um profundo contentamento, onde você pode dizer: “Este é meu destino, era por isso que eu estava esperando, é por isso que eu estou aqui na terra” .

Osho