Sada's Blog – ब्लॉग

Soul's expressions – आत्मा भाव

Uma Flor muito rara … प्यार March 29, 2013

Filed under: Inspirações,Love,Meditação,Mestres,Osho,Spirituality,Tantra — Sada @ 7:13 pm

yellow rose 2

“O amor é uma flor muito rara.
Ele só acontece às vezes.
Milhões e milhões de pessoas vivem na falsa atitude de que amam … acreditam que amam, mas isso é só uma crença.O amor é uma flor rara. Às vezes ele acontece. É raro porque só pode acontecer quando não existe medo, nunca antes disso. Isso significa que o amor só pode acontecer a uma pessoa profundamente espiritualizada, religiosa. O sexo é possível para todos. A familiaridade é possível para todos. Não o amor.

Quando você não tem medo, não há o que esconder; então você pode se abrir, pode pôr abaixo todas as fronteiras. E então pode convidar o outro a tocar a sua essência.

E, lembre-se, se você deixa que alguém o toque profundamente, o outro também deixará que você o toque, pois, quando deixa que alguém o toque, você inspira confiança.

Quando você não tem medo, o medo da outra pessoa também desaparece.

No amor comum, o medo está sempre presente. O marido teme a mulher, a mulher teme o marido. As pessoas que se amam sempre têm medo uma da oura … Então não é amor … É só um arranjo entre duas pessoas medrosas, que dependem uma da outra, brigam, exploram-se, manipulam, controlam, dominam, possuem uma a outra — mas não é amor.

Se você conseguir deixar que o amor aconteça, não precisará de prece, não precisará de meditação, não precisará de igreja nenhuma, de templo nenhum. 

Se amar, você pode se esquecer completamente de Deus — porque, por meio do amor, tudo terá acontecido a você: meditação, prece, Deus, tudo terá acontecido a você.

É isso que Jesus quis dizer quando falou que Deus é amor

Mas o amor é difícil. O medo tem que ser superado. E é isto que é estranho, as pessoas tem tanto medo e, ao mesmo tempo, não têm nada a perder. “

 

Osho

 

Aquilo que sempre esteve oculto em você … November 23, 2012

Filed under: Inspirações,Meditação,Mestres,Osho,Spirituality,Tantra — Sada @ 9:26 pm

O Mestre pode se tornar um desafio para você manifestar aquilo que sempre esteve oculto em você.

O Mestre não está lhe dando coisa alguma; ele não pode dar, não há nada para dar. E tudo o que pode ser dado não tem valor, pois será apenas uma coisa.

Aquilo que não pode ser dado, mas apenas provocado, vale a pena.

Um Mestre está simplesmente provocando-o …

… ele o desafia para ajudá-lo a chegar a um ponto onde você possa perceber algo que já está presente. Uma vez que você o conheça, não há necessidade de um Mestre”

OSHO 

 

Tantra, Psicologia e normalidade October 13, 2012

Filed under: Inspirações,Mestres,Osho,Psicologia,Spirituality,Tantra — Sada @ 5:53 pm

“O homem pode ser considerado de 3 maneiras: em termos do normal, do anormal e do super-normal.

A psicologia ocidental está basicamente relacionada com o anormal, o patológico, com o homem que caiu da norma. A psicologia oriental, o tantra e o yoga, consideram o homem do ponto de vista do super-normal (aquele que foi além da norma). Ambos são anormais.

Aquele que é patológico é anormal por que não é saudável e aquele que é super-normal é anormal porque é mais saudável do que qualquer ser normal. 

A psicologia ocidental se desenvolveu como parte da psicoterapia. Freud estava estudando casos patológicos, o homem anormal, o homem mentalmente doente … nenhum homem saudável chegaria até ele … e, por causa desse estudo, ele pensou que entendia o homem.

… Toda a sociedade ocidental caiu de nível – o homem doente tornou-se a base – o pervertido se tornou a fundação.

Se você estuda apenas o anormal, você não pode conceber nenhuma possibilidade de seres super-normais … Um buda é impossível para Freud, inconcebível. 

… se você embasa sua concepção do homem na doença, toda a sociedade irá sofrer.

A psicologia oriental também têm um conceito de homem, mas esse conceito está baseado no estudo do ‘super-normal’ – Buda, Patanjali, etc –, em pessoas que atingiram o pico da potencialidade e possibilidade humana. O mais baixo não foi considerado, apenas o mais alto. Se você considera o mais alto sua mente se torna uma abertura; você pode crescer, faculdades mais elevadas são possíveis. Se você considera o mais baixo, nenhum crescimento é possível. Não existe desafio. 

Mas se você busca o super-normal, a mais alta possibilidade que você pode se tornar, se alguém realizou essa possibilidade, se essa possibilidade se tornou verdadeira para alguém, então uma possibilidade para crescer se abre. Você pode crescer. Um desafio chega até você e você não precisa ficar satisfeito consigo mesmo: faculdades mais elevadas são possíveis e elas o estão chamando. Isso precisa ser entendido profundamente. Somente então a psicologia do tantra será concebível. O que você é não é o final. Você está apenas no meio. Você pode cair, você pode se elevar. Seu crescimento não acabou.

Você não é o produto final; você é apenas uma passagem. Alguma coisa está constantemente crescendo em você.

O tantra concebe e baseia todas as suas técnicas nesta possibilidade de crescimento. E, a menos que você se torne aquilo que você pode se tornar, você não ficará realmente satisfeito.

Você deve se tornar aquilo que você pode se tornar – isso é um dever! Do contrário, você ficará frustrado, você se sentirá sem sentido, sentirá que não existe propósito na vida. Você pode continuar, mas não existirá alegria nisso. E você pode ter sucesso em muitas outras coisas, mas irá fracassar consigo mesmo. E isso está acontecendo. Alguém se torna muito rico e todo mundo pensa que ele teve sucesso. Todo mundo, exceto ele mesmo, pensa que ele teve sucesso. Ele conhece o seu fracasso. A riqueza está presente, mas ele está fracassado. 

O que você sente é significativo. Se você sente que é um fracasso, os outros podem pensar que você é um Napoleão, mas isso não faz diferença. Ao contrário, isso o deprime mais.

 Você não pode enganar a si mesmo.

No que se refere à auto-realização, você não pode se enganar. Mais cedo ou mais tarde você terá que visitar a si mesmo e olhar profundamente dentro de si. A sua vida é desperdiçada quando largou uma oportunidade e juntou coisas que não significam nada.

A auto-realização se refere ao mais alto pico de seu crescimento, onde você pode sentir um profundo contentamento, onde você pode dizer: “Este é meu destino, era por isso que eu estava esperando, é por isso que eu estou aqui na terra” .

Osho

 

“Flor-és-Sendo” August 6, 2012

Filed under: Inspirações,Meditação,Mestres,Osho,Spirituality,Tantra — Sada @ 4:51 am

“Transitório é este mundo:

Como fantasmas e sonhos, ele não tem substância alguma.”

 “A matéria desapareceu completamente do vocabulário dos físicos nas últimas décadas … Não há nada de material em torno de nós, tudo não passa de vibrações, vibrações entrecruzadas que criam a ilusão da matéria.

É como no cinema: nada há na tela, apenas luzes elétricas entrecruzando-se e criando um mundo de ilusão. E já há filmes tridimensionais, que criam perfeitamente uma ilusão de tridimensionalidade.

Exatamente como um filme sobre a tela é o mundo, porque ele é, todo, um fenômeno elétrico.

Só tu és real, só a testemunha é real, tudo o mais é um sonho.

E o estado e Buda surge quando transcendes todos esses sonhos e nada resta para ser visto: apenas aquele que via.

Não há nada, não há objeto a ser visto; apenas o que via restou – então obtiveste o estado de Buda, a realidade … “

“Se, sem esforço,

permaneceres desprendidamente em estado natural … “

“Ser natural quer dizer ficar onde se está. Ser natural, quer dizer: onde te encontrares, fica. Se és marido, está bem; se és esposa, que belo; se és mão, está certo, tem de ser assim. Aceita o que quer que seja, onde quer que esteja e seja o que for que te aconteça; só então poderás ser desprendido e natural; de outra maneira será impossível que o sejas …

… Para algumas pessoas é inteiramente natural estar num mosteiro; então, têm de estar num mosteiro. Para algumas pessoas pode ser inteiramente natural ir para as montanhas e elas são para as montanhas.

O que deve ser lembrado, como critério, é ser desprendido e natural. Se és natural no mercado, ótimo. O mercado também é Divino. Se te sentes desprendido e natural no Himalaia, ótimo. Nada há de errado nisso.

Lembra-te apenas de uma coisa: sê desprendido e natural. Não forces! E não queiras criar tensão dentro do teu ser. Relaxa!

 

Permanecendo desprendido e natural, logo chegarás ao clímax orgástico com a Existência.”

 

“De súbito chega, quando estiveres pronto;

nem mesmo os passos serão ouvidos.

De súbito chega.

Nem mesmo tens consciência de que está chegando.

Floresceu.

De súbito, vês o florescimento

e ficas repleto de fragrância.”

Osho

* do livro: “Tantra – A Suprema Compreensão”
 

Quem é você? – आप कौन हैं? August 1, 2012

Filed under: Meditação,Mestres,Osho,Spirituality,Tantra — Sada @ 3:35 pm

” Tu não tens tua própria face, 
tens, apenas, as opiniões de outros sobre ti. 
Alguém diz que és belo e começas a pensar que és belo. 
Alguém diz que és feio, tu te sentes magoado 
e trazes, como uma ferida, 
o fato de alguém ter dito “feio”
– tu te tornaste feio. 
Tu não passas de um amontoado de opiniões alheias, 
tu não sabes quem és. 
Sabes apenas o que os outros pensam que és. 
E isso é estranho, 
porque esses outros que pensam quem tu és 
não conhecem a eles próprios
– conhecem-se através de ti. 
Esse é um belo jogo: conheço-me através de ti, 
tu te conheces através de mim 
e ambos não sabemos quem somos.”

Osho

* do livro: “Tantra- A Suprema Compreensão”
 

“Atitude Tântrica” – तांत्रिक रवैया July 11, 2012

“A atitude tântrica é o próprio ser …

 

Tantra vê a vida com visão total.

Não possui conceitos, não é uma filosofia.  

Não é, sequer, uma religião, não tem teologia.

Não acredita em palavras, em teorias, em doutrinas.

Quer ver a vida sem filosofia, sem qualquer teoria, sem qualquer teologia. Quer ver a vida como ela é, sem colocar a mente de permeio, porque isso causaria distorção.

A mente projeta, a mente mescla, e, então, já não podes distinguir aquilo que é.

 

Tantra evita a mente e encara a vida face a face, 

jamais pensando: “isto é bom”, ou “isto é mau”; porém, e simplesmente, encarando-a como ela é. 

*

“A prática do mantra e da paramita,
a instrução em sutras e preceitos,
o ensino das escolas e das escrituras,
não levarão à percepção da Verdade Inata.
Porque, se a mente, quando tomada por algum desejo,
procura encontrar um objetivo,
apenas oculta a Luz. 

Aquele que observa os preceitos tântricos, ainda discrimina,
trai o espírito de samaya.
Cessa toda atividade, abandona todos os desejos,
deixa que os pensamentos subam e desçam,
Coisa que eles farão, como ondas no oceano.
Aquele que nunca prejudica o não-perdurável,
nem o princípio da não-distinção,
defende os preceitos tântricos. 

O que abandona o desejo insaciável
e não se prende a isto, nem àquilo
percebe o significado real dado nas escrituras.”

*

Tantra diz “sim” a tudo. Nada há que se pareça com o “não” em seu vocabulário; nada que seja negação. Nunca diz “não” a coisa alguma, porque

com o “não” se inicia a luta,

com o “não” tu te tornas o ego.

No momento em que dizes “não” a qualquer coisa, tornas-te já o ego. Um conflito surgiu e, agora, estás em guerra.

 Tantra ama, e ama incondicionalmente. Nunca diz “não” a nada, seja o que for, porque

tudo faz parte do todo

e tudo tem seu lugar próprio no Todo;

e o Todo só poderá existir quando nada lhe falte.

 

 

Osho  

 (Do livro: “Tantra: A Suprema Compreensão”)

 

 

Rebeldia April 22, 2012

Filed under: Inspirações,Mestres,Osho,Spirituality,Tantra — Sada @ 7:32 pm

 

“As pessoas têm muito medo daqueles que conhecem a si mesmos … estes tem certo poder, uma certa aura e um certo magnetismo, um carisma capaz de libertar os jovens, ainda cheios de vida, do tradicional aprisionamento.

O homem iluminado não pode ser escravizado

— este é o problema — e não pode ser feito prisioneiro

Todo gênio que tenha conhecido um pouco do seu íntimo está fadado a ser um pouco difícil de ser absorvido: ele deverá ser uma força perturbadora.

As massas não querem ser perturbadas, ainda que se encontrem na miséria; estão na miséria, mas estão acostumadas com isso, e qualquer um que não seja um miserável parece um estranho. 

O homem iluminado é o maior forasteiro do mundo; ele parece não pertencer a ninguém. Nenhuma organização consegue confiná-lo, nenhuma comunidade, nenhuma sociedade, nenhuma nação.

Rico ou pobre, o Rebelde é de fato um imperador,

porque quebrou as correntes do condicionamento repressivo e das opiniões da sociedade. Ele deu forma a si mesmo abraçando todas as cores do arco-íris, aflorando das raízes obscuras e amorfas de seu passado inconsciente, e criando asas para voar para o céu. A sua própria maneira de ser é rebelde — não porque esteja lutando contra alguém ou contra qualquer coisa, mas porque ele descobriu a sua própria natureza verdadeira e está determinado a viver de acordo com ela.

A águia é o animal com o qual se afina espiritualmente, um mensageiro entre a terra e o céu. 

O Rebelde nos desafia a ser suficientemente corajosos para assumir responsabilidade por quem somos, e para viver a nossa verdade.” 

Osho